EQUIPE

Direção-geral: Dênio Albertini

Direção-artística: Claudinê Albertini

Coordenação geral: Paulo Cesar Toledo

Produtores: Andréa Rocha; Bob Tostes; Lenora Rolfhs; Marcos Kacowicz.

Locutores: Cynara Bruno; Luiz Fernando Freitas e Paulo Cesar Toledo

Redes sociais: Paulo Cesar Toledo

Técnico de Gravação: Artur Damásio

Montagem: Sérgio Fernandes

Colaboradores: Paulo Cavalcante e Antônio Ayres Neto

MEMBROS

DÊNIO ALBERTINI

Nascido em 1 de fevereiro de 1962, em Belo Horizonte (MG), Dênio Albertini passou a infância e boa parte de sua juventude no bairro Floresta.

Inicia sua trajetória como profissional de rádio em 1984, aos 22 anos, como programador musical, pelas mãos do irmão Claudinê Albertini, então coordenador artístico; e do amigo e chefe da programação Vicente Lima, o Vicentinho, durante gestão do compositor Fernando Brant como diretor artístico da rádio Inconfidência (AM/FM), ligada ao governo do Estado de Minas Gerais.

A partir de então, ele atua em outras emissoras como a Terra FM, a América AM e a Metrópole. No início dos anos 90 tem nova passagem pela Inconfidência, seguindo em 1992 para a rádio Geraes, que entrava em operação. Ao lado de outros profissionais, Dênio participou da concepção artística da nova emissora, e assumiu diversas funções como programador musical, produtor, diretor artístico e de promoções.

A partir de 1997, voltou a atuar na área de produção cultural, iniciada em 1985, com destaque para a criação e execução de um dos mais festejados eventos da cidade, o Calrsberg Music Station e Music Station, com mais de 50 shows em diversas estações de metrô em Belo Horizonte.

No início dos anos 2000, passou a trabalhar na Guarani FM, assumindo a direção artística em duas ocasiões. A primeira, entre 2002 e 2007, e a segunda, entre 2012 e 2015, até o arrendamento da rádio, em 1 de maio deste ano.

Desde então, Dênio Albertini responde pela direção-geral da rádio GuaraniWeb.

PAULO CESAR TOLEDO

Radialista e Locutor publicitário.

Começou sua carreira na rádio Viçosa FM, em 1988. Em Belo Horizonte, trabalhou inicialmente nas rádios Extra, Itatiaia FM e Alvorada FM. Foi locutor e coordenador artístico na Geraes e Guarani FM. Como locutor publicitário já fez trabalhos para as mais importantes agências de Minas Gerais. Participou da fundação do “Vozes de Minas”.

CLAUDINÊ ALBERTINI

Natural de Bambuí (Minas Gerais), na década de 60, ainda adolescente, se muda com a família para Belo Horizonte e inicia sua vida artística como cantor, ao lado do irmão, Márcio Albertini.

A dupla Claudinê e Márcio ganha espaço e reconhecimento do público e crítica no programa Brasa 4, comandada por Dirceu Pereira, na extinta TV Itacolomi. O sucesso foi interrompido em 1969, após um trágico acidente que vitimou o irmão Márcio.

Claudinê permaneceu em carreira solo durante algum tempo, até ingressar na rádio Minas e iniciar uma nova fase em sua trajetória profissional.

A partir daí desenvolveu uma série de projetos radiofônicos de sucesso, com destaque para as rádios Del Rey 98 FM, a primeira emissora FM Stéreo da América Latina; a Inconfidência, onde implantou o projeto da Brasileiríssima, a emissora que executa  somente MPB; e a 107 FM, emissora voltada ao público estudantil. Nessa oportunidade, revolucionou a rádio mineira com uma linguagem descontraída e suas inusitadas ações promocionais pelas ruas de Belo Horizonte.

Claudinê também tem passagem pelo mercado do disco e do entretenimento, tendo produzido importantes bandas no período de 1970 e 1980. Camping Pop e o grupo Saecula Saeculorum são alguns exemplos.

Nos anos 2000 cria importantes ferramentas para internet, com destaque para os players interativos, utilizados pela PBH na primeira edição do Orçamento Participativo Digital – OP Digital.

Claudinê Albertini foi também consultor e responsável pelo projeto artístico da última fase da extinta rádio Guarani FM. Diretor da empresa Dreamland, agora presta consultoria e assina o projeto artístico da GuaraniWeb.

BOB TOSTES

Bacharel em Direito pela UFMG, cantor, compositor e comunicador, Bob Tostes tem seu nome associado a um constante trabalho de pesquisa e divulgação da música popular.
Nos anos 70, dirigiu o Festival Estudantil da Canção, que lançou clássicos da música mineira como “Clube da Esquina” e “Equatorial”, e liderou um dos grupos mineiros do movimento Musicanossa, fundado no Rio por Roberto Menescal. Durante 20 anos foi proprietário da loja de discos “Bob Tostes”, que se tornou referência nacional.
Participou da fase inicial da Radio Inconfidência FM-Brasileiríssima, a convite de seu idealizador, Claudinê Albertini. Em 1998 transferiu-se para a Guarani FM, onde desenvolveu e apresentou os programas Avenida Brasil, Nota Jazz e Cinemasongs (agora na GuaraniWeb).
Autor da trilha sonora das peças infantis “O Cavalinho Azul”, de Maria Clara Machado, “A Terra é azul”, “As aventuras de Xexelenta” e “O Casaco encantado” (premiada em Ouro Preto), montadas pelo Teatro de Equipe. Assinou coluna musical nos jornais Diário da Tarde e Diário do Comércio durante as décadas de 1970 e 80. Nos anos 90 publicou ensaios no suplemento “Pensar” do Jornal Estado de Minas.
Seu primeiro disco foi “Sambacana volume 3”, com músicas do compositor Pacífico Mascarenhas. Em seguida, lançou “Sambacana vol.4” e “Aleluia, Bossa Nova”.
Em 1991 participou do cd “Bossa Nova Wonderland”, produzido para o mercado japonês, ao lado de Rosa Passos, Menescal, Carlos Lyra, Os Cariocas e Johnny Alf. Em 2002 gravou o CD “Sessão Dupla/Novas Bossas”, lançado pela gravadora paulista Dabliú. O disco recebeu cotação máxima do crítico José Domingos Rafaelli (O Globo) e do site paulista especializado “Almanaque”.

MARCOS SAUL KACOWICZ

Com a palavra, Marcos Saul Kacowicz, nascido Em Belo Horizonte 19 de maio de 1954.
“A partir de 8 anos comecei a curtir música. Em torno de 1972, produzi o programa jukebox na extinta rádio Del Rey, convidado pelo mestre Claudinê Albertini. Depois produzi alguns eventos em Belo Horizonte. Trabalhei com Sá e Guarabira, o Terço, Mutantes, Rita Lee, Som nosso de cada dia, Made in Brasil, Jards Macale e Jorge Mautner, dentre outros.
Entre novembro de 2006 a abril de 2015, produzi e apresentei o programa Kacophonia, para radio Guarani FM.
O Kacophonia é um programa de rock e afins, com o foco nos anos 60 e 70.
Progressivo, hard, fusion, psicodelia são algumas das correntes destacadas no programa. Muitos shows exclusivos fazem parte do acervo do Kacophonia.
Para o teatro já produzi também as trilhas incidentais das peças: Quando os beatles voltarem a tocar  outra vez e O arquiteto e o imperador da Assíria. Ambas dirigidas por Ronaldo Brandão. Em 2013, participei como ator no filme Jimi Hendrix e a fonoaudiologa, dirigido por Fabio Carvalho. Atualmente estou na GuaraniWeb, o futuro agora”.

 

ANDRÉA ROCHA

Andréa Rocha Faria é jornalista, produtora e editora.

Em quase 30 anos de profissão, implantou e coordenou assessorias de comunicação, fez reportagens e produção para TV, escreveu e editou livros, jornais, relatórios institucionais e revistas, e conduziu programas de roteiros culturais para a extinta rádio Gerais, no início dos anos 90.

Em jornalismo impresso, atuou principalmente no setor de  Economia. Em três oportunidades, foi repórter do Diário do Comércio, somando cerca de sete anos de experiência nessa área.

Em 2007, fundou a empresa Andréa Rocha Edições, que encerrou suas atividades em setembro de 2014. Entre suas realizações, estão as revistas de educação ambiental, do Programa Semeando, produzidas pelo Senar Minas; e as publicações do Instituto Brasileiro de Direito de Família (Ibdfam).

Entre as áreas de interesse e campos de atuação, destacam-se as Artes, Arquitetura, Cidades, Cultura, Direitos Humanos, Economia, Meio Ambiente e Turismo.

Com a rádio GuaraniWeb, inicia uma nova fase em sua carreira profissional. Desta vez, no mundo digital.